quinta-feira, 30 de julho de 2009

O Filme Bee Movie e Seus Ensinamentos Sobre Empreendedorismo

Por Maria Bernadete PupoBarry,

Recém-formado por faculdade, quer muito mais da vida do que a inevitável carreira que espera por ele e por todas as outras abelhas da Colméia. Inconformado em dar continuidade à vida no mesmo local onde nascera, crescera, estudara e onde teria que trabalhar até o fim dos seus dias, espelhou sua carreira nos “Ases do Pólen”, que funcionavam com espécie de Força aérea das abelhas. Essas utilizavam roupas e equipamentos especiais, que as distinguiam das outras e com esse diferencial é que podiam visitar o mundo, fora da colméia. Barry descobriu, em seu próprio habitat, que podia quebrar paradigmas até então incutidos no modo de vida daquela comunidade. Eis um belo exemplo de que muitas vezes não precisamos fazer viagem alguma ao espaço sideral para descobrir o que já está dentro de nós ou ao nosso lado. Muitas vezes basta mudar o modo de ver e de encarar as coisas.

Mesmo sabendo que as adversidades eram muitas, e dos perigos que corriam em busca do precioso pólen, base de toda a produção do mel, Barry tinha a certeza do que realmente queria, e enfrentava numa boa ao seu amigo e aos pais. É que esses tentavam, a todo momento, convencê-lo de que a colméia era o destino de todos (emprego fixo, previsível), insistindo e enfatizando o risco que Barry correria, se utilizasse exemplos ameaçadores a sua vida, dizendo que os poucos que se aventuraram acabaram não voltando (exemplos rotineiros no nosso dia-a-dia, seja já acontecido com alguém, ou reflexo de nossa própria insegurança em arriscar). Mesmo assim, Barry não aceitava a idéia de que esse seria o seu ideal de emprego e de felicidade. Assim, quando se deparou com a fila do emprego fixo, decidiu tomar coragem e fugir aventurando-se no grupo dos “Ases do Polen”. Por sorte, caiu na simpatia de alguns, e é aprovado como se fosse um trainee. E como é exatamente a prática que nos faz crescer, sua verdadeira viagem, rumo ao que sempre quis, começou naquele momento. Em meio às maravilhas de novas descobertas de um mundo inteiramente desconhecido, ele vive momentos de aventuras e também de estresse, de aflição; de medo e de outras grandes emoções (assim como aqueles que se aventuram no mundo do empreendedorismo não previsível e sem rotina). Contornando as aflições e perdendo-se do bando, Barry conheceu a florista Vanessa, conseguindo quebrar uma das principais regras da abelha que era a de nunca falar com os humanos; nasce, então, entre eles forte laço afetivo. Ambos tornam-se amigos, e Barry, a partir daí, conhece bem mais os humanos. Esse fato nos mostra que quebrar regras, muitas vezes, ajuda-nos a descobrir novos horizontes, pois a mensagem desta cena é a de esclarecer o quanto somos manipulados pelas imposições da sociedade e quanta barreira se cria em relação ao jovem e a sua carreira profissional, tornando-a geralmente simplista e limitada em relação ao futuro.

Da convivência com os humanos, Barry conhece novidades que ocorrem em outro mundo, e fica revoltado ao ver que seus amigos, depois de tanto trabalho para produzir o mel, consentem que ele seja vendido tão banalmente nos supermercados. Daí decide sair à luta e resolve processar a humanidade e aqueles que exploram abelhas em fazendas.

Esta cena nos revela que, conforme vamos desbravando nossa competência e nossas potencialidades, vamos redescobrindo nossas forças e conhecendo nossas fraquezas; vamos redirecionando nossos caminhos em que o mais importante é a transformação do simplesmente “viver para produzir”, para o “viver para produzir com sabor”.

É a partir daí que um novo desafio toma conta de Barry. Com sua inequívoca perseverança de empreendedor, faz com que as abelhas vençam a disputa e fiquem com todo o mel . Elas percebem que não devem parar de trabalhar e conseguem salvar o pólen da última flor da terra, salvando também do extermínio as demais flores. Com essa ação, Barry acaba se tornando um advogado de sucesso. Com isso se aprende que mais importante do que conseguir carreira de sucesso, é o sentido que damos à nossa vida, é a predisposição em arrojar, em empreender; em descobrir aquilo que nos dá prazer, mesmo que no meio do caminho tenhamos que mudar o rumo da nossa vida ou carreira, porque o mais importante é gostar daquilo que se faz, e acima de tudo, fazer a diferença naquilo que se propõe e trazer contribuição efetiva ao mundo dos negócios, do qual se faz parte integrante.

Liderança com criatividade: A chave da Gestão de Pessoas

Nos tempos atuais muito se fala a respeito de líderes. de gestores que sejam Coach, empreendedores, mas o que realmente tudo isso significa? Será mais um modismo na era tecnológica da Gestão de Pessoas?
Liderança é um processo por meio do qual as pessoas assumem posições de “comando”, “coordenação” de grupo, com o objetivo de atingir um resultado, uma meta.
O processo de liderança nas organizações é cíclico. A cada momento surge um novo líder e essa ascensão irá depender da especificidade da ação, do resultado a ser alcançado, das competências necessárias desse profissional, para a situação que se apresenta.
Quando se exerce o papel de líder, seja por definição da empresa, pela posição que ocupa no nível hierárquico, ou quando, para determinada situação você é quem tem as competências necessárias, faz-se necessário pensar quem são os componentes da equipe que serão liderados, como conduzi-los para a ação.
Ao assumir um papel de líder é preciso ter o olhar sobre todos, ter a visão crítica da situação que se apresenta, quem são as pessoas que compõem o grupo e qual o resultado a ser alcançado. Este olhar deve ser diferenciado: desfoca a realidade para focar novamente.
As pessoas que fazem parte do processo precisam ser geridas de forma que o líder conheça suas potencialidades, suas expectativas, suas competências, para que essas, quando inseridas num projeto, contribuam de uma maneira mais efetiva e eficiente.
Vale ressaltar que são as pessoas quem irão colocar literalmente “a mão na massa” e fazer acontecer o projeto. Portanto, cabe ao líder considerar cada pessoa como se fosse única, atribuindo-lhe responsabilidades para as quais o profissional se sente maduro e apto a conduzir. O líder deve empreender, orientar, educar sua equipe, proporcionando aos liderados condições o para seu crescimento individual e profissional.
Ser o Coach de sua equipe é ter o entendimento das diferenças individuais, de suas potencialidades e das possibilidades de sucesso. Deve ainda orientar seu time na condução do processo, tornando-se, desta forma, co-gestor, co-responsável pela ação.
Na Gestão de Pessoas, liderar é empreender os talentos e saber como esses podem contribuir para o sucesso do trabalho. Se houver sucesso ou fracasso no processo, esse será compartilhado pelo grupo.
Liderar ou exercer a liderança é ter o entendimento da cultura organizacional, do planejamento estratégico da mesma e alinhar sua equipe de acordo com as competências contributivas da cada um para atingir os resultados esperados. Isto torna cada elemento co-participativo do processo, é fazer cada sentir que faz parte do time e não que está à parte. É preciso conciliar os objetivos organizacionais com os individuais, e saber em que momento ocorre a intersecção, o ponto comum entre as partes envolvidas. O líder deve ter em mente que as pessoas fazem os processos. São elas que por meio de seu trabalho contribuem efetivamente para com a organização e com a equipe.
O capital humano deve ser valorizado para unir o grupo ao redor de um objetivo comum. Cada um deve se questionar: até que ponto contribuo com o resultado da minha empresa? Quando o meu trabalho é o reflexo deste resultado? Qual o objetivo a ser atingido? Como empreender a criatividade, inovar e formar novos líderes?

Doze conselhos para ter um infarto... feliz

Por Ernesto Artur


Quando publiquei estes conselhos "amigos-da-onça" em meu site, recebi uma enxurrada de e-mails, até mesmo do exterior, dizendo que isto lhes serviu de alerta, pois muitos estavam adotando esse tipo de vida inconscientemente.


1. Cuide de seu trabalho antes de tudo. As necessidades pessoais e familiares são secundárias;

2. Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos domingos ;

3. Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde ;

4. Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem;

5. Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc. ;

6. Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranqüila. Pelo contrário, não perca tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes ;

7. Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro ;

8. Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro ;

9. Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado. Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo;

10. Se sentir que está perdendo o ritmo e o fôlego tome logo estimulantes e energéticos. Eles vão te deixar tinindo;

11. Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.

12. E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração e meditação diante de Deus. Isto é para crédulos e tolos. Repita para si: Eu sou a minha própria religião.

Então? Você faz parte desse time? Se fizer, ainda está em tempo de rever suas atitudes. Pense nisso!!!!!